terça-feira, 1 de novembro de 2016

SURGE UMA NOVA GERAÇÃO NO TRAIL RUNNING NACIONAL?


Neste último final de semana, entre os dias 28 e 30/10, estive presente na 3a edição da INDOMIT Costa Esmeralda, evento realizado entre belas praias e morros do estado de Santa Catarina, incluindo Porto Belo, Bombas e Bombinhas. Poderia escrever sobre a paisagem, os detalhes do percurso, clima entre os atletas e muitos outros detalhes, mas o que mais me chamou a atenção foi o resultado na Elite dos 100K masculino. Há tempos que venho observando que sempre os mesmos atletas vencem as principais competições nacionais e a grande maioria deles tem idade acima dos 35 anos. Logicamente que um esporte não pode se renovar se a nova geração não chegar em bom nível competitivo, ou seja, enquanto os "velhinhos" continuarem ganhando não teremos evolução no esporte. Basta observar a média de idade nos Jogos Olímpicos para entenderem o que estou falando. Os jovens são o futuro e precisam começar cedo a praticar para que possam aproveitar o auge de sua performance física. Enfim, não vou alongar o papo por aqui, pois são muitas variáveis.

Vamos falar sobre o resultado da prova. Entre os cinco primeiro colocados, tivemos o Campeão e o terceiro colocado com idade abaixo dos 29 anos. O atleta de São Paulo Carlos Henrique Botelho da Silva tem 25 anos e o carioca Marcus Paulo Escrivani Borges tem 26 anos de idade. De resto, em todas as outas categorias da elite Ultra Trail (100K, 80K e 50K), apenas nos 50K a terceira colocada Luciane de Medeiros tinha idade inferior aos 29 anos.

Como formador de opinião neste esporte cada vez mais praticado, me vejo na obrigação de analisar tais resultados para que possamos bolar novas estratégias para atrair o público mais jovem para as corridas Trail. Acredito muito no papel dos pais, no incentivo desta prática pelos filhos, levando desde pequenos para que possam sentir a experiência. Provas que oferecem a modalidade Kids sempre chamam a atenção e lotam de participantes. Já para os adolescentes talvez a estratégia seja oferecer uma premiação diferenciada sub 20 anos e estimular clínicas de formação pelo Brasil.

No mesmo final de semana tivemos a histórica participação da seleção brasileira de corredores de montanha na modalidade Ultra Trail em Portugal, formada pelos brasileiros Cleverson Luis Del Secchi, Chico Santos, Ivan Pires, Hamilton Miragaia, Lígia Almeida e Cynthia Terra, comandadas pelos experientes técnicos Sidney Togumi e Mariano Moraes. Conseguimos a 13a colocação geral e a honrosa PRIMEIRA colocação da América do Sul. Isso foi histórico e demos o primeiro passo. Um detalhe, adivinhem a idade dos nossos representantes? Nenhum abaixo dos 30 anos de idade. 

Existe também outra razão fisiológica para entendermos a manutenção destes excelentes níveis de performance mundo afora por atletas mais experientes. Na minha próxima postagem vou mostrar uma pesquisa muito interessante realizada no Mundial de Corrida em Montanha de 2007 na Áustria. Alguns atletas conseguem manter altos índices de VO2 máximo e VO2 de limiar mesmo com o passar da idade.

Que venha a nova geração, avante o Trail Running nacional! 

Um comentário:

Valmir Lana Jr. disse...

Exatamente, Bonatto! Para mim já não foi surpresa ver tanto o Carlos quanto o Escrivani se darem bem! Eu já participei de alguns eventos com eles e eles sempre se saíram muito bem.
São muito dedicados e talentosos!
Precisamos fazer com que novos Carlos, Marcos surjam no cenário! Tenho alguns outros que posso citar, como Vitor Paulo, Leon Corbassier, Rodrigo Vesma, Rudney, os "Miragaiazinhos"... mas ainda precisamos de mais!

Valeu, cara!